15 de julho é o dia do homem. Jura? Juro. Passei ontem em frente a uma perfumaria e lá estava a propaganda, linda, em cores másculas, da tal data comemorativa. Obviamente, ao lado de um kit contendo perfume, desodorante e loção pós barba…Quanta criatividade!Sinceramente, acho que é pura inveja.Além de ser mais uma data comercial , lógico.Só porque temos os nossos dias, um nacional e outro internacional, eles tanto fizeram que conseguiram um dia só para eles. E como agradá-los? Dispensar do almoço na casa da sogra, liberar o chopp com os amigos, o controle remoto, fazer vista grossa com a toalha em cima da cama, a tampa da privada…Mas só por um dia!

Historicamente, o nosso dia tem muito mais respaldo: uma trajetória inteira de lutas, reividicações de melhorias nas condições de vida, trabalho e o direito sagrado ao voto.E a nossa luta foi sempre contra os homens, que nos dominaram, podaram e aprisionaram em moldes machistas de sociedade.Profundo, não?

Intrigada, fui até a fonte para entender o assunto e perguntei a um amigo:
– Fernando, me dá um motivo para a existência do dia do homem !
Resposta infame:
 – O homem é o próprio motivo!
Não falei que é carência? Não sou nenhuma feminista radical, vivo rodeada de homens, desde os meus amigos, meus filhos e o meu bonito e comecei a tentar entender isso por outro ângulo.

Quando as mulheres não tinham espaço, elas lutaram. Fizeram, aconteceram, apareceram. E hoje, burramente, temos uma jornada de 26 horas por dia, da casa para o trabalho e para a academia, paralelamente a todos os cuidados dispensados a filhos, maridos, namorados.Adoro ser mulher, amo ter todos os direitos, luto por eles, mas tem hora que cansa. Cansa ser homem. E o homem também deve estar cansado de ser mulher…

Afinal,não esperamos mais o homem abrir a porta, dividimos as contas, vamos e voltamos e nos viramos sempre sozinhas, sem precisar de ninguém…será? Temos vergonha de precisar, de ser frágil, dependente. Não digo uma dependência doentia, em que depositamos a nossa felicidade na mão do outro, mas aquele precisar saudável, gostoso, que tanto tememos. Não somos a mulher maravilha, e até ela tinha uma quedinha pelo super homem. Amazonas de outrora, mulheres exaustas nos dias de hoje, precisamos aprender a delegar.

Deixar o homem ser um pouco caçador, provedor, laçador, mandar um pouquinho mesmo. Colocar limites, achar ruim o tamanho da nossa saia, ter ciúmes quando um outro nos olha, elogiar nossas curvas, se sentir dono do pedaço.E mandar flores, levar café na cama… E nós, pobres e frágeis mulheres, precisamos aprender a nos derreter mais, a obedecer mais, a servir um pouco os nossos homens. Pelo menos entre quatro paredes deixar ele ser mais ele. E comemorar esse 15 de julho do jeitinho que ele gosta: sendo muito mais mulher!!!
Parabéns a todos os homens que fazem a minha vida muito mais divertida!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s