Ontem eu ouvi uma frase que me fez pensar: Os 40 são os novos 20.Ufa! Lógico que estamos mais antenadas, mas lindas, mais maduras. E muito melhores! Me lembrei de quando eu tinha 20 anos, ainda sem saber o que fazer da vida. Oscilava entre o jornalismo e o direito, tinha namorados por hobby e nem imaginava ser mãe.  E muito menos o que estava por vir.

 Engravidei aos 23, no susto. E de repente, era mais mãe do que mulher. Tranquei a faculdade de RP – achava que era a minha vocação – e me enveredei no design de joias, talvez um pouco mais acertada. Aprendi na marra a criar um filho e a conseguir algum sustento. Não me lembro se ainda acreditava em príncipes encantados, mas gostava de me apaixonar. Sou movida a paixões.

  A vida passou, me deu mais alguns sustos e me levou de volta a alguns caminhos também. Tive mais um filho e, talvez até mesmo por causa dele, achei a minha verdadeira vocação: A moda. Acho que,por necessidade de me afirmar, recuperar a minha auto estima, comecei a me dedicar a imagem pessoal. A minha estava esquecida. Completamente.

 Se tem alguma coisa difícil de ser recuperada é a tal auto estima. Uma palavra torta, a falta de elogios, o espelho que não mente. E acabou. Antes dos 30 eu não tinha nenhuma auto estima. Nem vontade de viver. Hoje, tenho plena consciência que o que me segurou nesse mundo foram os meus filhos. Nada é mesmo por acaso.

 Faço 39 anos em dezembro e não sinto saudade nenhuma dos meus 20. Ganhei alguns centímetros de cintura, de quadril, perdi a tal rigidez, mas ganhei confiança. Auto confiança. Sei exatamente o que quero. Quando. E até o porquê. Meu hobby são as modas que invento e não tenho medo do que está por vir. Não que eu tenha controle sobre a vida. Mas  talvez, por que ela não me controle mais tanto assim…E que venham os 40!

Anúncios

4 comentários sobre “Dos 40 aos 20

  1. Nossa, como nossa história em relação a auto estima é parecida….
    Ainda bem que hoje, aos 47 anos, sou outra mulher, bem diferente e muito melhor do que quando tinha 20 anos! Bjo!

  2. É isso mesmo! Hoje estou com 51 e lógico, não tenho mais o corpo durinho, a pele lisinha e tal. Mas quando olho para o espelho, gosto do que vejo. Me considero uma pessoa feliz e alegre, mesmo com todas as perdas que tive na vida, que com certeza me fez crescer e aprender que tudo na vida é passageiro, então temos que nos amar, respeitar e amar o próximo, perdoar e não julgar. Isso passo sempre para minha filha e que só assim seremos felizes, respeitadas e amadas. Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s