Me considero uma pessoa otimista. Até demais às vezes. Acho sempre que o copo está mais cheio do que vazio, que aquela brechinha azul no céu nublado vai inundar o mundo e que no fim, tudo vai dar certo.

E foi com essa mente boa e a cara melhor ainda que entrei no ônibus na terça feira indo para um compromisso importante. Minha cidade tinha vivido um caos no dia anterior por causa de uma greve dos transportes rodoviários, mas nada demais. Sem mortes, incêndios, só excesso de trânsito e alguns atrasos.
Ao meu lado se senta uma mulher, dos seus 40 e poucos anos e começa a puxar papo:

– Ainda bem que esse ônibus passou, viu a greve ontem?
– Vi sim, mas acho que hoje já tá tranquilo.
– Sei não… Morro de medo de incendiarem o ônibus. Você viu aquela menina lá no Rio?
– Sim, mas não vejo esse tipo de coisa, acho muito impressionante. (E não vejo mesmo nada que me faça desacreditar na humanidade.)
Aí a pessoa começa a contar em detalhes o que aconteceu com a menina. Levo a minha mente para outro lugar enquanto ela fala. E não para:
– Será que vai ter muito trânsito?
– Bem, deve ter um pouco mais do que o normal.
– Eu tenho médico daqui a pouco, sabe. Operei de apendicite e agora vou operar de hérnia.
– Sério? Penso: Com certeza, devido ao mau humor concentrado.
– Pois é, mas lá no Madre Teresa eu não vou mais não, atendimento péssimo.
– Sério?
– Imagina na época da copa, como vai ser. Quem mora na Pampulha não vai nem poder sair de casa. Também, com aquelas capivaras, ficou sabendo? Elas estão transmitindo uma doença que causa morte letal.
– Não fiquei sabendo, não… (Mas também não conheço nenhum outro tipo de morte que não seja letal!)
– Elas foram até tiradas da lagoa. Imagina quando começarem os protestos. E aquele cinegrafista que morreu, que coisa…Nossa, morro de medo de acontecer alguma coisa assim comigo.

E por aí foi… A criatura parecia que tinha engolido aqueles jornais que se a gente torcer sai sangue, sabe? E fiquei escutando aquelas barbáries com o coração apertado, tentando me concentrar em coisas boas. Sei que no mundo de hoje tá cada dia mais difícil não achar que algo de ruim vai acontecer. Agradeço a Deus quando chegamos todos em casa sem maiores contratempos. Mas imagino que ela, com tanto pessimismo, acaba atraindo para si um pouco disso também. Evito ver coisas ruins não por ignorar a realidade, mas por acreditar que deve ter mais coisa boa do que ruim acontecendo, só não é noticiada com tanto fervor. A miséria vende,gente. É só dar uma olhada no Facebook: Quando alguém perde um parente, está com problemas, já viu quantas curtidas e comentários? Agora vai ver quando o status diz: #felizdemais! Nada. A tristeza sempre tem companhia, a felicidade traz inveja.

De repente, a mulher se levanta e se vai. Sem nem ao menos se despedir dessa ouvinte fiel. Confesso que me senti aliviada. Fiz uma oração e segui meu caminho olhando para o céu azul, sentindo um ventinho bom e admirando a paisagem. Sei que não vou mudar o mundo, mas se cada um de nós acreditar em fazer uma realidade melhor apesar de tudo e acreditar que a vida sempre merece um segundo olhar, tenho certeza que temos chance de fazer acontecer…Bom carnaval a todos!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s